domingo, 29 de novembro de 2015

PLANO B - resumo do livro de Richard Simonetti


Roberto e Cristina preparavam-se para reencarnar. Há séculos estreitavam laços de afetividade. Ambos haviam falhado inúmeras vezes em experiências pretéritas, colhendo frustrações, ampliando débitos, mas eram agora suficientemente amadurecidos para assumir e cumprir tarefas em favor de seu progresso e bem-estar. Mas, o grande desafio é o esquecimento ao mergulhar no corpo de carne. É difícil manter fidelidade ao destino traçado tendo em vista as fragilidades. Mas, ninguém cresce sem enfrentar desafios. Então, Roberto e Cristina nasceriam para amparar-se mutuamente e desde verdes anos mostrariam a tendência para exercerem a medicina. E seus mentores seriam Fernando e Carlos.
Roberto nasceu como filho de Custódio e Angelina ambos espíritas e, Cristina nasceu como filha de Dolores e Cristóvão ambos protestantes.
Roberto ficou órfão de pai aos 12 anos de idade e continuou seus estudos com o apoio da mãe até se formar em Medicina.
É preciso explicar que existe um planejamento para o reencarnante, feito por ele próprio, ou por mentores espirituais quando não tenha condições para tanto. E há, também, multidões que reencarnam sem programa detalhado. A razão é simples: seria ocioso. Em sua imaturidade, não cumpririam o planejado.
Enquanto Roberto se dedicava aos estudos, Cristina se encantava por Rino seu professor de biologia do cursinho preparatório para o vestibular de Medicina. Este encantamento resultou em uma gravidez. A família tratou de marcar logo o casamento. Os mentores preocupados buscaram Augusto para um entendimento e este explicou que era assim mesmo e o jeito será pôr em prática o Plano B, apoiando Cristina e o marido para que cumpram deveres nascidos não de uma programação elaborada no plano espiritual, mas de suas próprias escolhas no plano físico. E Roberto seguirá em frente, retirando o casamento do rol de seus anseios, já que para Espíritos de sua estirpe não haverá chance de uma união sem amor. Ele jamais se deixará envolver pelos embalos de uma paixão. Mas, Roberto sentiu uma inexplicável inquietação associada de indefinível tristeza. A razão desse sentimento estava no casamento de Cristina, que os afastava do planejamento feito. A ligação de ambos, fruto da afinidade que os unia, o levava a sentir que algo de grave estava acontecendo, relacionado com sua existência, seu futuro. Ele experimentava extrema carência afetiva, “prato cheio” para Sandra, estudante de Medicina, loira escultural que nutria paixão nada secreta por Roberto, não por afinidade, mas por passionalidade. Não o amava. Simplesmente o desejava, com a intensidade das pessoas orientadas pela sensualidade. Para resistir ao assédio das jovens, Roberto fazia-se de inocente, como se não percebesse as sinalizações de gestos e palavras que usavam para conquistar sua atenção. Coma a intuição das pessoas sintonizadas com os apelos do prazer, Sandra pressentiu a carência de Roberto e “deu o bote”. Pediu auxilio com os estudos de anatomia. Roberto percebeu o pretexto, mas acabou cedendo ao pedido. O encontro foi marcado no apartamento de Sandra. Esta o recebeu com roupas minúsculas, perfumada, sorridente entre beijinhos tradicionais. Não tardou para ambos se envolverem mais intimamente. Roberto deixou o apartamento horas depois com sensação de frustração que sempre o envolvia nas raras vezes em que exercitava os prazeres do sexo. Como ocorre com os Espíritos amadurecidos, não conseguia dissociar a comunhão de corpos de uma comunhão de almas. Para ele o sexo só seria realmente gratificante quando fosse parte do amor, jamais o amor por inteiro.
Sandra sentiu-se envolvida, mas Roberto arrependera-se de sua fraqueza. Não podia sustentar relacionamento amoroso com Sandra, simplesmente porque não conseguia colocar o sexo à frente do amor. Sandra, ao ser rejeitada rapidamente transformou o grande amor que sentia por um grande ressentimento inspirando desejos de vingança próprios dos Espíritos imaturos. Dias depois procurou a direção da faculdade e, denunciou Roberto por assédio sexual e violência contra ela. Um processo foi aberto. Roberto quase foi expulso da faculdade, o que destruiria o ideal de sua vida, os planos elaborados na espiritualidade. Os amigos o defenderam, mas quem mudou o rumo dos acontecimentos foi o depoimento do professor Oton Giraldi, um cirurgião cardíaco muito respeitado na faculdade. Ele citou o caráter de Roberto.
Por outro lado, Cristina dava continuidade à sua vida. Ela teve 3 filhos com Rino. Mas, embora contando com um lar confortável, marido atencioso, filhos maravilhosos, faltava alguma coisa em sua vida. Ela pensava na faculdade que teve que parar e não sentia o marido como o homem de sua vida. Passada a ardência passional, ela não conseguia ver o marido senão um amigo. Ele sempre ansioso pela comunhão íntima, nos domínios do sexo, sentia-se irritado por senti-la distante, desmotivada. Não tardou em buscar experiências extraconjugais.
Roberto se formou em 1971 especializando-se em cirurgia cardíaca. E continuava aguardando sua alma gêmea. Quando jovem teve várias namoradas, ficou noivo duas vezes, mas não se sentia animado com a idéia de “amarrar-se”. Como espírita, sabia que alma gêmea é uma expressão para designar o membro da família espiritual com o qual tenhamos afinidade maior. Não era o que sentia pelas jovens que se relacionou. Chegou a achar que não havia um planejamento de casamento em sua vida e que seu casamento seria com a Medicina. Em 1980, um infarte fulminante encerrou a carreira vitoriosa do doutor e amigo Oton Giraldi que, do plano espiritual, passou a apoiar Roberto em seu trabalho que se tornou o mais eficiente gênio em sua profissão. Atendia todos, ricos ou pobres com gentileza e cuidado.
Cristina tinha dois irmãos, Cristiano e Cristiam. Cristiano desencarnou num acidente de carro, motivado por excesso de bebida alcoólica. Tempos depois sua mãe Dolores enfartou e foi levada ao hospital. Foi examinada pelo doutor Roberto que sentiu forte emoção ao ver Cristina. Ele operou Dolores que se recuperou rapidamente. Roberto e Cristina se aproximaram em decorrência da doença de Dolores. Tornaram-se amigos. Cristina sentia emoções desconhecidas na presença de Roberto. Sentia nele um velho conhecido, alguém muito importante em sua vida. Roberto sentia-se feliz ao lado de Cristina, mas frustração em saber que ela era casada e tinha 3 filhos.
Cristovão ficou agradecido pela dedicação de Roberto e não quis perder contato. Fazia questão de sua presença em sua fazenda. Roberto tentava manter-se distante, mas não foi possível diante dos acontecimentos. Cristiam, o irmão de Cristina, tinha pesadelos com o irmão desencarnado Cristiano. Acordava aos gritos. A família evangélica chamou um pastor, que tratou o caso como algo demoníaco. Como não deu resultado procuraram um psicólogo que também não resolveu. Cristina sugeriu que pedissem ajuda à Roberto que era espírita. Os pais não sabiam da religião de Roberto. Apesar do espanto resolveram chamá-lo para pedir ajuda. Roberto aceitou o convite e levou a mãe Angelina. Tomou conhecimento do ocorrido e ajudou o rapaz que apenas intermediou um diálogo com o irmão desencarnado. Explicou à família que Cristiam era médium e precisava disciplinar a faculdade com o conhecimento espírita. Apesar de assustados concordaram.
Rino começou um tratamento com uma dermatologista já que estava com progressiva queda de cabelo. A médica era Sandra, aquela colega de Roberto que lhe havia causado problemas. Ela teve 3 casamentos conturbados, em face de sua vocação a infidelidade. Ela tinha um filho chamado Vicente que era seu grande amor. Era um menino que despertou desde cedo para as realidades espirituais. Ele foi um companheiro de milenares jornadas de Sandra. Mas esta, não superou sua vocação para relacionamentos afetivos inconseqüentes. Logo tornou-se amante de Rino. Ela sugeria que ele separasse da esposa e fosse morar com ela. Ele tinha vocação para o adultério, mas era apegado à família. Sandra não se conformava e mandava bilhetes para Cristina que não sabia o que fazer. Então, procurou Roberto para se aconselhar, mas soube que ele havia viajado para o exterior. Ficaria afastado do Brasil por 2 anos. Ele trabalharia como Médico sem Fronteira que é uma organização não governamental sem fins lucrativos, que envia profissionais de saúde para atuar em regiões carentes e conflituosas. Ele aceitou o convite para não se envolver ilicitamente com Cristina. Rino, pressionado por Sandra e por entidades malfazejas, resolveu deixar o lar e alojar-se num flat até criar coragem para mudar-se ao apartamento de Sandra. Diante de tanta pressão, Rino sofreu um AVC, com ruptura de um vaso no cérebro, em processo de derrame. De amante viril, tornou-se um enfermo necessitado de ajuda. Não tardou para começar as desavenças. Sandra afastou-se de Rino e planejava descartá-lo. Seu pai a apoiava, a mãe não achava justo e o filho Vicente se incomodava com a frieza da mãe. Sandra queria sua liberdade. Então, procurou Cristina e disse para que ela o buscasse, senão o mandaria para um asilo. Cristina chocou-se com a frieza de Sandra, mas sentiu piedade de Rino e em breve dias voltou para a casa.
Roberto escrevia para a mãe contando que estava no Sudão, um dos países mais pobres da África e detalhes de seu trabalho. Era o único meio de comunicação.
Cristina começou a freqüentar o Centro Espírita para incentivar o irmão Cristiam. Lá tirava suas dúvidas.
Roberto voltou ao Brasil porque sua mãe estava gravemente enferma. Esta desencarnou após conversar com o filho.
Roberto só tinha a mãe, por isso se aproximou da família de Cristina. Sublimou seu afeto por Cristina, realizando-se no amor fraterno ao invés de torturar-se por impossível amor romântico. Sentia-se feliz simplesmente tendo-a por perto. Cristina aprendeu com o Espiritismo que Rino foi um desvio de rota, mas que havia assumido compromisso com ele que deveria respeitar, a fim de não incorrer em novo desatino. Rino sentia ciúme de Roberto que passou evitar freqüentar a casa de Cristina. Passou a conviver com ela e o irmão no Centro Espírita. Cristiam progredia no campo mediúnico. Recebeu várias vezes a manifestação do irmão, que ainda estava perturbado. Dolores, mais acessível, emocionava-se ao receber notícias do filho desencarnado. Numa das reuniões Cristina foi avisada que Cristiano estava fazendo progressos em sua condição. Mas era preciso que retornasse ao grupo familiar. Como a mãe não tinha condições de engravidar, ele viria de forma indireta, ou seja, como adotivo. Dolores e o marido, depois de buscar entender o assunto, concordaram. Um ano depois, visitando um orfanato onde costumava contribuir mensalmente, deparou-se com um recém-nascido abandonado anonimamente. Dolores sentiu forte emoção ao colocá-lo em seus braços. Era Cristiano de retorno, agora com o nome de Cristóbulo.
Sandra procura Roberto implorando que cuidasse do filho Vicente que era portador de grave lesão congênita no coração. Roberto pensou em não aceitar, com receio de não dar certo e que Sandra pensasse ser uma vingança. E ela era capaz de tudo. Mas ela implorou e pediu perdão por tudo que fez. Roberto aceitou o pedido. O que Roberto não sabia era que Vicente tinha encontro marcado com a morte. Nasceu para uma existência breve, a fim de tocar a sensibilidade de Sandra. Sua morte na infância motivaria uma transformação, ajudando-a a mudar os rumos de sua vida, levando-a a procurar os valores espirituais. Mas, Carlos, o mentor espiritual de Roberto estava preocupado, porque tinha receio da reação de Silas. Poderia complicar a missão de seu pupilo que deveria cumprir sua missão na Medicina em paz. Carlos procurou Augusto, na colônia Abrigo das Almas para aconselhar-se. Ficou resolvido que dariam à Vicente uma moratória, ou seja, ele teria mais 3 anos de vida na carne, suficiente para consagrar a cirurgia como vitoriosa, isentando Roberto da ira de Silas. No dia seguinte Vicente foi operado e a cirurgia foi coroada de êxito. Sandra e Silas ficaram gratos a Roberto. Sandra contou ao pai de sua armação contra Roberto na faculdade. Este tinha consciência de que foi uma armação da filha, mas pediu que deixasse tudo no passado.
Após 3 anos, conforme o previsto, completou-se a moratória de Vicente. Este pressentiu que sua hora estava chegando e, sob inspiração de mentores espirituais, procurou preparar o Espírito de Sandra. Dias depois o menino teve parada cardíaca em pleno sono. Sandra jamais experimentou abalo tão grande. Roberto conversou com Sandra no velório. Convidou-a para freqüentar o Centro Espírita Amigos do Mestre. Ela aceitou. Lá encontrou com Cristina e pediu perdão pelo que fez a Rino e a ela. Cristina percebeu que havia sinceridade em suas palavras e a perdoou. E a vida seguiu seu curso.
Cristina cuidando de Rino; seus filhos casados cuidam da prole; Cristiam inteiramente dedicado às atividades espíritas, sem espaço para o casamento; Cristóbulo demonstrando horror às bebidas alcoólicas, baladas e motocicletas, em face de sua trágica experiência pretérita; Cristóvão e Dolores envelhecendo com a tranqüilidade dos que guardam a consciência tranqüila; Carlos e Fernando estavam felizes com seus pupilos que optaram pelo caminho certo, contendo os impulsos passionais que costumam aflorar em tais situações. Quando a razão supera o instinto fica mais fácil lidar com as tentações.
Em 2002 Rino desmaia com forte dor no peito, é internado na UTI e desencarna.
Um ano depois, em cerimônia simples, com a presença de familiares e amigos íntimos, Roberto e Cristina casam-se.
O Céu rejubila-se com eventos dessa natureza, quando inspirados no amor legítimo e na disposição de uma existência a dois marcada pelo respeito às leis divinas e pelo esforço do Bem. Desvios de rota são freqüentes na jornada humana. Difícil compatibilizar o que planejamos no mundo espiritual com o que fazemos no mundo físico. Mesmo missionários que reencarnam com importantes tarefas em favor do progresso humano, não raro desviam-se, comprometendo planos cuidadosamente elaborados. É por isso que mais consertamos os estragos do passado do que edificamos para o futuro. Assim será enquanto o egoísmo for o móvel das ações humanas. Permanecemos próximos da animalidade instintiva, que favorece desvios, e distantes da angelitude, sem compatibilizar os desejos terrestres com os desígnios celestes.
Não obstante, a misericórdia divina nos oferece infinitas oportunidades de reabilitação e ninguém está irremediavelmente transviado. Não é preciso muito para valorizar a experiência reencarnatória, evitando ou superando desvios. Basta manter a luz do Evangelho, se estamos cumprindo o que Deus espera de nós. Estaremos bem perto de fazê-lo, à medida que substituirmos, no verbo de nossas ações, o eu pelo nós. O egoísmo pelo altruísmo, fazendo ao próximo o bem que gostaríamos de receber, conforme a sábia orientação de Jesus.

Resumo feito por Rudymara do Grupo de Estudo “Allan Kardec”


A VOLTA DE JESUS

 
 
Muitas pessoas querem a volta de Jesus. Mas, para que? Para que ele venha e resolva todos os problemas do mundo? Isto não vai acontecer. Jesus veio e não resolveu. Por que? Porque Ele apenas deixou a fórmula que deveríamos seguir para que alcançássemos a paz, a harmonia, o respeito mútuo. Mas, nós queremos tudo pronto. Não queremos ter trabalho de lapidar nossos sentimentos como: perdoar, relevar uma agressão, não revidar uma ofensa, não nos vingarmos, ter honestidade, respeito, enfim, de fazermos aos outros o que queremos que eles nos façam. Mas, na verdade Ele nunca foi embora. Ele continua conosco, nós é que nos distanciamos dele quando não fazemos o que ele pede. A volta dele, para nós espírita, se dará quando nossas atitudes lembrarem Ele. A sua nova manjedoura será nosso coração.
PENSEMOS JUNTOS: Se Jesus voltasse e arrumasse toda esta bagunça do mundo, o que aconteceria? Nós bagunçaríamos tudo de novo. Por que? Porque enquanto não arrumarmos o mundo que existe dentro de nós, o mundo em torno de nós não mudará.
Quando uma mãe arruma a bagunça do quarto de seu filho e não o ensina a preservar, o filho irá bagunçar novamente, não é? Assim acontece com o mundo em que vivemos. Se não seguirmos os ensinamentos do Cristo, o mundo será um retrato dos sentimentos que levamos dentro de nós.

Rudymara
 
 

 

QUANDO NOS SACRIFICAREMOS POR ELE?

 
 
Jesus não precisava encarnar. Ele é o espírito de maior evolução que nosso planeta já recebeu. Mas ele veio para mostrar o caminho que nos livraria das dores e aflições caso as seguissemos seus ensinamentos. Mas nós ainda não entendemos isso. Infelizmente as religiões viciaram os fieis a buscar os templos religiosos com segunda intenção, somente com interesse de resolver problemas físicos e materiais. E para pedir coisas para Deus e Jesus sem se esforçar em ouvir Seus pedidos para nós.
Então perguntemos: "Quando nos sacrificaremos por Aquele que se sacrificou por nós?"
Mas, que sacrificio podemos fazer por Ele?Perdoando, não revidando agressão, retribuindo o mal com o bem, amando o inimigo, fazendo aos outros o que queremos que os outros façam por nós, orar por quem nos odeia, não roubar, não matar, não cometer adultério, não fazendo uso de tóxicos que diminuem o tempo de vida na Terra, não cometendo suicídio, respeitando todos, sejam eles de qualquer raça, posição social, opção sexual, etc.
Difícil? Sim, mas para Ele também não foi fácil.
Pensemos nisso!


Rudymara

 

 

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

A LEI SINALIZA ATÉ ONDE DEVEMOS IR

Certa vez, Chico Xavier estava indo de carona para uma certa cidade de Minas Gerais. O motorista estava correndo além do permitido pela placa que sinalizava a estrada. Então, Chico chamou a atenção do motorista dizendo:
- Meu filho, você não acha que está correndo demais. A placa diz 60 km e você está a 80 km.
O motorista respondeu:
- É só um pouquinho. Estamos atrasados.
Chico respondeu:
- Filho, se eu não seguir as leis dos homens, como seguirei as leis de Deus?



André Marouço

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: Muita gente não se conforma em ter que seguir regras. Querem fazer suas próprias leis. Tentam, muitas vezes, burlar e dar um "jeitinho brasileiro" para fugir delas. Mas, se com elas já há abuso, imaginemos sem. Enquanto não aprendermos a respeitar os nossos limites, a vez e o direito do próximo, nosso dever, nós precisaremos de placas nos sinalizando onde podemos parar ou não, o limite de velocidade, etc. Senão, continuaremos a matar e morrer nas estradas. Uma simples inflação de trânsito, significa que estamos sendo, de uma certa forma, corruptos. É isso que os políticos fazem quando corrompem a lei para proveito próprio. Assim acontece também com a lei divina. Jesus veio sinalizar o que devemos fazer e não fazer. Mas, muitos de nós fazemos vista grossa para elas e sofremos as consequências. O resultado das nossas transgressões nem sempre acontece nesta encarnação. As leis dos homens tem falhas, mas as de Deus não. As dos homens são corrompidas, mas as de Deus não. 
Na questão 796 Kardec perguntou aos Espíritos: 
"No estado atual da sociedade, a severidade das leis penais não constitui uma necessidade?" 
E eles responderam: 
“Uma sociedade pervertida certamente precisa de leis severas. Infelizmente, essas leis mais se destinam a punir o mal depois de feito, do que a lhe secar a fonte. Só a educação (moral) poderá reformar os homens, que, então, não precisarão mais de leis tão rigorosas.”
Só quando desenvolvermos o senso moral não precisaremos mais das leis dos homens. Pensemos nisso!


OS ENSINAMENTOS DO CRISTO DEVEM VIR ANTES DOS CULTOS EXTERNOS

 
 
O que mudou do tempo de Jesus até hoje?
Muito pouco.
Ainda há religiões que se apegam aos rituais, cultos, amuletos, etc., e esquece-se do mais importante: “A TRANSFORMAÇÃO MORAL”.Muitos ficam horrorizados quando alguém não se casa na igreja, não batizam os filhos, etc., mas perguntemos:
- O mais importante é o ritual do casamento ou seguir a lei de Deus (dentro do casamento) que diz: “Não adulterarás”?
- O mais importante é batizar com água na cabeça ou no corpo inteiro ou seguir o pedido de João Batista quando disse: “Produzi frutos sinceros de arrependimento . . . Aquele que tem duas túnicas, dê uma ao que nenhuma possui . . . E quem tem o que comer, divida com o que passa fome . . .?
- O mais importante é flagelar o corpo com cruzes pesadas, etc., ou flagelar a alma, retirando dela nossas falhas morais como: orgulho, vaidade, egoísmo, ódio, vingança, etc., etc., etc.?
Questionemos nossa consciência.
Busquemos analisar o que Deus, os Espíritos Superiores (os santos, o Espírito Santo), Jesus, etc., esperam de nós.
Os ensinamentos do Cristo devem vir antes dos cultos externos.
Senão continuaremos marcando passo na evolução espiritual.

Explica Richard Simonetti: “Ao tempo de Jesus, havia o ritual de lavar as mãos antes das refeições. Muitos dirão que é um hábito saudável. Mas não era essa a intenção, mesmo porque não havia mínima noção sobre a existência dos microrganismos. Trata-se de mera prática ritualística religiosa. Os judeus observaram que os discípulos do nazareno não se submetiam ao ritual de lavar as mãos e perguntaram:
- Por que teus discípulos transgridem a tradição dos mais velhos? Pois não lavam as mãos quando comem.
Respondeu Jesus:
- E por que vocês transgridem o mandamento de Deus, por causa da sua tradição? Moisés ensinou: "Honra a teu pai e a tua mãe e quem amaldiçoar o pai ou a mãe seja punido com a morte". Vocês, porém, proclamam: "Quem disser ao pai ou à sua mãe: - o sustento que vocês poderiam receber de mim é consagrado a Deus -, esse não precisa honrar nem a seu pai nem a sua mãe." Assim, vocês invalidam, pela sua tradição, o mandamento de Deus. Hipócritas! É verdadeiro o que Isaías profetizou de vocês, quando disse: "Este povo honra-me com os lábios, enquanto o seu coração está bem longe de mim. Em vão me prestam culto, ensinando doutrinas que são preceitos humanos."
O Mestre deixou claro que os aspectos exteriores da religião são secundários e não são ensinamentos de Deus, são imposições do homem. O que importa é o empenho de renovação, o esforço por cumprir a vontade de Deus, amando e servindo o semelhante e se respeitando.”

Texto de Rudymara
 
 


 

INFELIZ DO ESPÍRITO PREGUIÇOSO

 
 
"(...) Submetei-vos ao impulso que vimos dar aos vossos Espíritos. Obedecei à grande lei do progresso, que é a palavra da vossa geração. Infeliz do Espírito preguiçoso, daquele que fecha o seu entendimento! Infeliz, porque nós, que somos os guias da humanidade em marcha, o chicotearemos, e forçaremos a sua vontade rebelde, com o duplo esforço do freio e da espora. Toda resistência orgulhosa deverá ceder, cedo ou tarde. Mas bem-aventurados os que são mansos, porque darão ouvidos dóceis aos ensinamentos."

Lázaro - ESE - cap.9 item 8

OBSERVAÇÃO DE RUDYMARA: O Espírito Lázaro aconselha que nós devemos nos submeter a ajuda que os Espíritos superiores vieram nos dar. Que devemos obedecer a lei do progresso, que são os ensinamentos do Cristo. Infeliz aquele que for preguiçoso, que não viver o que aprendeu, porque os trabalhadores do Cristo irão nos impulsionar, forçando que caminhemos, ora puxarão o freio (quando estivermos entrando por caminho errado) e ora nos darão esporada (para que não paremos no caminho). Cedo ou tarde, nosso orgulho se dobrará. Bem aventurado será aquele que atender, sem reclamar, aos ensinamentos do Cristo.
 
 

 

domingo, 22 de novembro de 2015

ESTAMOS NAS MÃOS DE DEUS?

 
 
Não. Estamos em nossas próprias mãos. Ele nos mandou, através de Jesus, as regras que nos ajudaria a vivermos bem, sem dor ou sofrimento, se seguíssemos. Mas nós, seguimos as nossas regras. A regra do egoísmo, orgulho, ganância e falta de amor ao próximo. Muitos de nós não mede consequências para ganhar dinheiro. E com isso, prejudicamos muitas pessoas e até o planeta. Por isso, vemos pessoas sofrendo nas filas de hospitais, guerras, roubo, assalto, tráfico de drogas, corrupções, estelionatos, propinas, assassinatos, etc. Sem contar que nossos sentimentos ainda são de revidar agressão, intolerância, ódio, falta de perdão, impaciência, etc. Precisamos entender que todo sofrimento é o EFEITO de algo que CAUSAMOS anteriormente. Nesta ou em outra vida. Prestemos atenção em muitos filhos desviados do caminho do bem, geralmente são frutos de má educação, consequências de lares desestruturados, relapsos, negligentes, sem compromisso em passar exemplo de ética e moral aos filhos. Muitos roubos e assaltos são para sustentar o vício e outros são porque pessoas compram produtos roubados incentivando o criminoso a continuar no crime. Muita gente desviando dinheiro da saúde, educação, transporte, etc., e até matando, de maneira indireta, muitas pessoas, em nome de sua ganância. Ora! É isso que aprendemos com os ensinamento do Cristo? A crise no mundo é decorrente da CRISE MORAL. A melhora do mundo começará quando melhorarmos o mundo que existe dentro de cada um de nós. Enfim, como disse Joanna de Ângelis "SOMOS HERDEIROS DE NÓS MESMOS", ou seja, estamos em nossas próprias mãos, sofrendo as consequências de nossas inconsequências.
 




Rudymara
 
 
 


 

DIA DA CONSCIÊNCIA CRISTÃ



 
 
Perguntemos: Qual a finalidade da vinda do Cristo a Terra?Será que Ele veio para criarmos igrejas, casas e templos religiosos? Para fazermos pedidos a Ele? Para fazermos festa na data de Seu nascimento e lamentarmos Sua morte na páscoa? Claro que não. “Ele veio dar sentido aos 10 mandamentos.” Então, como podemos encontrar pessoas que se dizem “cristãs” achando que são melhores que seu próximo porque é de pele branca? Quando discriminamos alguém estamos dizendo de maneira indireta que Deus errou ao criar raças diferentes. Hoje, preconceito recebeu um nome diferente pela ciência médica: BULLYING, mas a crueldade é a mesma. Quem disse que aquele que é diferente de nós não é legal e não é digno de respeito? Muitos querem que o Cristo volte. Para que? Se ele voltar nada vai mudar porque nós queremos alguém que faça uma mágica, que melhore as coisas e pessoas sem esforço próprio. E não é isso que ele quer e veio fazer. Ele quer que nós nos modifiquemos, que nos esforcemos para vivenciarmos seus ensinamentos. Só assim as coisas melhorarão em torno de nós. Hoje, 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, devemos colocar a nossa CONSCIÊNCIA para analisarmos nossos valores, nossa ética e nossa moral. Quem tem consciência não discrimina, nem tem preconceito, não maltrata, não humilha, não engana, não desvaloriza o próximo, não faz ao outro o que não quer que lhe façam. Agindo assim, todo dia será DIA DE CONSCIÊNCIA CRISTÃ ou de CRISTÃOS CONSCIENTES. Pensemos de maneira CRISTÃ, cristãos.

Rudymara
 
 
 

 

sábado, 14 de novembro de 2015

NOSSO ATO TERRORISTA DE CADA DIA


 
Muitas pessoas desencarnam diariamente em decorrência da insanidade de pessoas gananciosas, intolerantes, egoístas, que só pensam em si mesmas, que querem impor seu modo de pensar, agir e falar. Matam e agridem pessoas porque a cor da pele, a opção sexual, a religião, o time de futebol, etc, são diferentes da dele. Porque a outra pessoa não quer continuar o relacionamento amoroso com ela. Buscam enriquecer a custa da desgraça alheia de forma direta ou indireta, como no tráfico de drogas, nas corrupções, etc. Revidam agressão ou contrariedade porque não "levam desaforo para casa", pois seu orgulho não permite. Muitos não medem consequências quando fazem piadas e comentários de péssimo gosto ofendendo e humilhando pessoas, o que chamamos de bullying. Enfim, nós ainda agimos como na época da bárbarie, como espíritos primitivos. Nossas ações mostram nossa evolução ou a falta dela. Amar o próximo começa quando nos colocamos no lugar dele antes de tomar uma atitude. Enquanto não aplicarmos isso, continuaremos sendo terroristas na vida de alguém.
Terroristas do Estado Islâmico agem em defesa de Maomé. Para eles é certo o que fazem porque é o que interpretam no Alcorão, embora nem todos interpretem e agem assim. Dentro do cristianismo também há quem pregue ódio, desavença, preconceito "baseados na Bíblia". A interpretação destes é resultado de seus sentimentos inferiores. E com isso nos deparamos com terrorismo, de grande e pequeno porte, todos os dias em muitos setores e locais do mundo.
Mas, lembremos que, NINGUÉM NASCE PARA MATAR, ROUBAR, HUMILHAR, ENGANAR, ATERRORIZAR ninguém. Nascemos para evoluir. Qualquer um destes atos é apenas o mau uso do livre arbítrio. E, como disse Richard Simonetti: "A Terra é um planeta de provas e expiações. O simples fato de aqui vivermos significa que somos Espíritos comprometidos com débitos que justificam qualquer tipo de sofrimento ou morte que venhamos a enfrentar, como contingência evolutiva, sem que tenha ocorrido um planejamento dos superiores celestes nesse particular." Isto significa que não há vítimas, mas "pseudovítimas" aproveitando a situação para resgatar algum débito.

Rudymara




 
 
 
 


 

domingo, 8 de novembro de 2015

ESPIRITISMO NÃO É PARA QUEM QUER, É PARA QUEM AGUENTA

DIA DO PERDÃO

 
 
Hoje, 8 de novembro é dia do perdão. Mas não espere uma data para perdoar. Jesus ensinou na oração do "Pai Nosso" que devemos pedir a Deus que "só perdoe nossos erros quando aprendermos a perdoar quem errou conosco" e repetiu a necessidade do perdão em outras passagens do Evangelho. Francisco de Assis reforçou dizendo ser melhor "Perdoar que ser perdoado". Como disse Divaldo Franco "Se o outro não nos perdoa é problema dele, mas se nós não perdoarmos, o problema é nosso". Perdoar não significa que precisemos conviver com a pessoa, amá-la com o mesmo amor que tínhamos antes dela nos ofender ou prejudicar. Perdoar significa que devemos orar pela pessoa, não desejar mal a ela, não se satisfazer com algo de ruim que aconteça a ela, não querer se vingar. Perdoar é entender que a outra pessoa ainda não aprendeu a agir de forma leal, respeitosa e justa. Se nós já conseguimos agir melhor que ela, devemos compreender que nem todos ainda aprenderam esta lição. E que, se ela errou num ponto, nós também temos outros pontos falhos. Que atire a primeira pedra quem nunca errou. Perdoar não é fácil, mas também não é impossível. Nos esforcemos nesta lição que o Cristo ensinou.
 
 
Rudymara
 
 
 
 
 

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

DEPRESSÃO

 
Quando a depressão me ameaçava, Emmanuel me recomendava deixar o que tivesse fazendo e ir a periferia, efetuando demorada visita aos lares em situações de penúria. Depois de conversar com aquelas mães sofridas, eu voltava para casa com vergonha de mim.
A depressão pede o remédio do trabalho; a pessoa triste necessita ser motivada para as pequeninas tarefas que consiga executar… 
Na depressão, o médico pode ajudar muito, mas, se o deprimido não estiver disposto a se ajudar…
Quem sofre de depressão deve fugir da cama, do sofá… Faça qualquer coisa, ore, tenha confiança em Deus. Não pense em morrer!… A vida está em toda a parte.
Não podemos ficar tristes com os nossos problemas… Somos filhos de Deus e estamos melhorando. 
Às vezes, a alegria que está nos faltando é justamente a alegria que devemos aos outros…
Não sei dizer quantas vezes eu vim para a reunião com uma certa tristeza… Ouvindo a dor de tanta gente, a minha era insignificante. 
Quantos país perdem os filhos e têm que continuar, não é mesmo!… Eu não posso ficar parado.
Felicidade completa ninguém precisa esperar; paz definitiva eu nunca pude ver, nem nos Espíritos que se comunicam conosco… Ora, vamos nos aceitar como somos e prosseguir com muita fé em Deus.


 
Chico Xavier

 

HORA VAZIA 

Cuidado com a hora vazia, sem objetivo, sem atividade.
Nesse espaço, a mente engendra mecanismos de evasão e delira.
Cabeça ociosa é perigo a vista.
Mãos desocupadas facultam o desequilíbrio que se instala.
Grandes males são maquinados quando se dispõe de espaço mental em aberto.
Se, por alguma circunstância, surge-te uma hora vazia, preenche-a com uma leitura salutar, ou uma conversação positiva, ou um trabalho que aguarda oportunidade para execução, ou uma ação que te proporcione prazer . . .
O homem, quanto mais preenche os espaços mentais com as idéias do bem, mediante o estudo, a ação ou a reflexão, mais aumenta a sua capacidade e conquista mais amplos recursos para o progresso.
Estabelece um programa de realizações e visitas para os teus intervalos mentais, as tuas horas vazias, e te enriquecerás de desconhecidos tesouros de alegria e paz.
Hora vazia, nunca!
 
 
Joanna de Ângelis

 

ENTRE NESTE LINK E LEIA SOBRE "DEPRESSÃO NA VISÃO ESPÍRITA"
 




 
 

ALZHEIMER

 
(...) Estudos desenvolvidos pela Associação Médico-Espírita do Brasil, em que destacamos a atuação da Dra. Alessandra Granero, médica geriatra, e do Dr. Décio Iandoli Júnior, renomado professor e autor de obras espíritas, têm levantado – no tocante ao Alzheimer –  algumas hipóteses de causas espirituais, baseados em estudos sistemáticos de obras espíritas, como as obras de André Luiz. Estes estudiosos têm citado a rigidez de caráter (inflexibilidade), a culpa, os processos obsessivos graves, a depressão e os sentimentos doentios, tais como ódio e mágoa (sobretudo quando mantidos a médio e longo prazos), como causas espirituais para a ocorrência do mal de Alzheimer.
É interessante que características intelecto-morais relacionadas à religiosidade aparentemente não são facilmente perdidas, pelo menos nas fases iniciais da doença, o que permite com mais facilidade recorrer a terapias espirituais efetivas, com a participação ativa do paciente.
Obviamente, o papel da família em enfermidades desse tipo é de importância central, tanto para a melhoria da qualidade de vida do paciente, quanto do ponto de vista das questões espirituais, pois muitas vezes o grupo familial está associado às causas cármicas que poderiam estar na raiz de tal problemática. O acompanhamento espiritual é fundamental também para a família, pois os entes queridos sofrem muito com o gradual “distanciamento” do ser amado, que passa por um processo lento, porém consistente, de perda de interação cognitiva com os familiares e amigos. Alguns chegam a afirmar tratar-se de um lento e gradual “processo de desencarnação”.
Se analisarmos que, em concordância com André Luiz em “Ação e Reação”, as tarefas desenvolvidas na terceira idade repercutem muito em nossa futura condição espiritual na erraticidade, devemos considerar de alta responsabilidade o esforço dos amigos, familiares e terapeutas, mesmo que aparentemente improfícuo, na melhoria das condições dos irmãos que estão passando por essa provação. A necessidade de trabalho intelectual e a tendência à depressão denotam a necessidade de amplo esforço em tarefas de alto nível intelecto-moral.
As prováveis causas espirituais, como processos obsessivos e atitudes de intransigência moral, entre outras, indicam a necessidade de contínuo esforço de esclarecimento espiritual, se possível com leitura diária de páginas evangélico-doutrinárias e frequência, se possível semanal, à casa espírita para tratamento com passes.
 

ASTOLFO O. DE OLIVEIRA FILHO

O CONSOLADOR - Revista Semanal de Divulgação Espírita
 
 
 
 

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

NINGUÉM MORRE

 
 
"Nós não nascemos no berço e não morremos no túmulo" disse Joanna de ângelis. Por que? Porque nós fomos criados há muito tempo, não dá para definir data. Já encarnamos e desencarnamos muitas vezes e ainda encarnaremos e desencarnaremos outras tantas até nos tornarmos arcanjos e não precisarmos mais encarnar. Nós viemos do plano espiritual, nossa verdadeira morada e vivemos nossa prova ou expiação usando um corpo carnal e depois retornamos de onde viemos para prestar contas do que fizemos enquanto estivemos encarnados. E depois, retornamos ao plano físico para reparar os erros do passado ou passar por provas, enfim, continuar a caminhada evolutiva. Porque a finalidade da vida é evoluir, é ser hoje melhor do que fomos ontem e ser amanhã melhor do que estamos sendo hoje.
 
 
Rudymara